PRESIDENTE DA SHELL EXPRESSA APOIO IRRESTRITO ÀS REFORMAS DE TEMER

Os representantes dos maiores aglomerados econômicos (Shell, Coca-Cola, Cargill etc.) estiveram reunidos com em Davos-Suíça (Fórum Econômico Mundial) e demonstraram sua satisfação com as contrarreformas que estão sendo implementadas no , no sentido de atacar os direitos históricos da .

O presidente da Shell, Bem van Beuerden, expressou sua satisfação nos termos: “Fiz (a Temer) um pedido: continue o que estão fazendo no Brasil”. Para o referido empresário as eleições de 2018 não devem alterar o percurso dos ataques dirigidos contra a classe trabalhadora, em que as relações de superexploração devem ser aprofundadas ao máximo. O trabalho análogo ao trabalho escravo é o horizonte que se coloca para o conjunto da classe trabalhadora. Por isso, é fundamental a reorganização da classe trabalhadora para enfrentar e seus representantes (empresários e políticos).

O presidente da Shell realmente deve demonstrar sua satisfação com Michel Temer, afinal a poderosa multinacional foi a principal beneficiada com no processo de privatização da Petrobras, na compra de Libras por 70 bilhões de dólares, na compra do campo de Lula, na aquisição dos terminais T-Oil e em todo o processo de aquisição da Esso e fusão com o Grupo Cosan. Para se ter uma noção do tamanho do envolvimento da Shell com o governo Temer, basta destacar que o novo consultor da Petrobras era presidente BG Brasil quando esta foi adquirida pela Shell. Além disso, a empresa brasileira tem como presidente Pedro Parente, um árduo defensor da privatização e do capital transnacional.

Após as descobertas do Pré-sal, a gigante anglo-holandesa resolveu abandonar seus negócios em 10 países, para concentrar toda atenção nas águas profundas brasileiras. A tendência é que a Shell cada vez mais interfira na brasileira, elevando e derrubando governos no Brasil.

Fonte da Imagem: https://goo.gl/Dto4dA

Compartilhe:

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notifique-me
avatar